Clique aqui para retornar ao Menu.

Livro de Visitas:
/
Ler


Meu Grande Amor 
 
Tantos foram os desencontros
tantos foram os confrontos,
mas sempre brotavam lembranças,
que me traziam esperanças,
de um dia sermos felizes.

Só queria um pouco mais...
Mais respeito pelo que sou,
mais carinho pelo que tento ser,
mais fé no meu esforço.

Queria ter em ti uma amiga,
uma leoa que me defendesse
quando estivesse ferido, machucado...
Com dor na alma.

Ainda que errado,
apenas enquanto durasse a minha tristeza,
queria que estivesses do meu lado,
defendendo-me, apoiando-me,
até que eu estivesse pronto
para ouvir tuas críticas.

Sempre te desejei...
Hoje ainda com a mesma intensidade que era,
desde o nosso início.
O tempo maltratou nossas peles,
mas não diminuiu o que sinto por ti.

Queria mais que uma paixão...
Queria uma cúmplice,
uma receptadora para meu amor,
uma parceira para todos meus erros e acertos.
Queria que acreditasses em mim,
queria que tu me amasses
e usasses meu ombro amigo, para chorar ou rir.

Queria poder corrigir todos meus erros
e tentar mais uma vez,
mostrar-te o quanto te amo.

Autor: Jorge Eduardo M. Bastos
27/03/2000

Meu Grande Amor 
 
Tantos foram os desencontros
tantos foram os confrontos,
mas sempre brotavam lembranças,
que me traziam esperanças,
de um dia sermos felizes.

Só queria um pouco mais...
Mais respeito pelo que sou,
mais carinho pelo que tento ser,
mais fé no meu esforço.

Queria ter em ti uma amiga,
uma leoa que me defendesse
quando estivesse ferido, machucado...
Com dor na alma.

Ainda que errado,
apenas enquanto durasse a minha tristeza,
queria que estivesses do meu lado,
defendendo-me, apoiando-me,
até que eu estivesse pronto
para ouvir tuas críticas.

Sempre te desejei...
Hoje ainda com a mesma intensidade que era,
desde o nosso início.
O tempo maltratou nossas peles,
mas não diminuiu o que sinto por ti.

Queria mais que uma paixão...
Queria uma cúmplice,
uma receptadora para meu amor,
uma parceira para todos meus erros e acertos.
Queria que acreditasses em mim,
queria que tu me amasses
e usasses meu ombro amigo, para chorar ou rir.

Queria poder corrigir todos meus erros
e tentar mais uma vez,
mostrar-te o quanto te amo.

Autor: Jorge Eduardo M. Bastos
27/03/2000